jump to navigation

Castas e gênero em um casamento: discriminação? abril 23, 2008

Posted by ivanildafigueiredo in Noticias.
trackback

Rizwanur é um muçulmano de classe média-baixa. Priyanka é filha de uma família Hindu poderosa e rica. Essas características podem já refletir a situação, eles não eram da mesma casta, nem dividem a mesma formação econômica, social e comunitária. Eles se casaram, e Rizwanur pagou com sua vida por tê-lo feito.

 

O público concluiu que ele sofre de discriminação por causa de sua classe e de sua religião. O problema é: a justiça demora muito para ser alcançada. E a intolerância está muito enraizada na crença de grande parte da sociedade, inclusive a polícia, de quem o público de estar encobrindo um crime de ódio.

 

Apesar de o cidadão comum estar acostumado a ser cínico e resignado à situação, por conta da cumplicidade entre a polícia e os ricos, a parte ativa do setor civil e de suas organizações e ONGs estão vindo apoiar a família das vitimas e buscar respostas.

Há uma grande diferença agora: o pedido é feito civilizadamente, mostrando uma mudança bem-vinda dos extremos usuais, apatia ou rebelião.

 

Pelo outro lado, Pryianka se tornou o estandarte da discriminação contra a mulher.

Ela terá que viver com a realidade de ter perdido o marido, com idéia de responsabilidade na morte dele , tudo porque desobedeceu seus pais ricos e a situação cultural/social conservadora e casou-se com um homem diferente.O seu lugar de mulher era para sacrificar seu amor para salvar seu amado, obedecer seus pais e as regras, se comprometer, ela representa a “honra” da família.

 

Em 2005, com o Ato de proteção de mulheres contra violência doméstica (literal de Protection of Women Against Domestic Violence Act), houve uma luz no fim do túnel para a melhora do acesso à justiça das mulheres. Mas essa busca de justiça não requere somente mudança nas leis.São necessárias mudanças nos valores que constituem o material cultural de cada lar, para que no longo prazo o estigma de que a mulher tem que viver a vida em detrimento de suas vontades, seja apagado.

 

Há três coisas que o governo pode fazer: 1) aumentar esforços para educar pessoas revisando o que será ensinado nas escolas e universidades, assim como criar campanhas de informação, 2) tornar a informação acessível para as mulheres de seus próprios direitos, 3) encorajar mudanças pelos meios de comunicação para enfatizar progresso e justiça de gênero.

 

Nesse caso, a repercussão pode causar algumas mudanças, mas e no caso de outras diferenças ? Quais são estas no Brasil e na África do Sul que estão tão intrínsecas à cultura da sociedade que necessitariam de modos de mudança?Quais são elas e como fazer que elas venham à tona?

Comentários»

No comments yet — be the first.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: